domingo, 30 de agosto de 2015

Prometo ser delicado.


Prometo ser delicado contigo, 
nada que te faça sentir-se constrangida.
Tudo será na maior atmosfera de carinho, 
de bem querer.
Seja receptiva e te darei 
os melhores beijos que deseja,
os carinhos que tem sonhado, 
que o tempo talvez tenha feito esquecer.

Serão beijos de amor pleno, 
de desejos cultivados e que aguardam 
teus lindos lábios.
Para descansarem os meus, 
aflitos de paixão.

Adorei a sugestão 
e prometo te cobrir, te agasalhar, te marcar...
Serão toques suaves, 
nossos lábios dirão 
o quanto nos desejamos,
o quanto estivemos a espera 
de realizar este ato sublime.

Desencadear as emoções reprimidas, 
aliviar tensões guardadas.
Nos livrar do medo e da incerteza 
de uma possível união de corpos.

Sabemos do que somos capazes, 
não importa a forma de realização 
de cada um nesse momento.
Vamos nos reaprender, 
nos ensinar novamente, 
nos adaptar a uma nova vida.

Não nos custa tentar, 
só assim saberemos se nossas promessas 
e desejos, estão corretos.

Venha meu amor, 
me diga o quanto me deseja, 
o quanto te desejo poderei dizer,
entre beijos, te amar...

Gerson Araujo Almeida

sábado, 29 de agosto de 2015

Qual mistério guardas...?


O que se passa em teu interior,
Quais segredos nunca nos serão revelados.
E olha, que a muito tempo perdi o caminho, 
por onde tentava descobrir,
qual a verdadeira razão de tua existência. 
O que nos aproximou e
criou um laço, não sei se perfeito, 
mas agradavelmente próximo.

Um sentimento quase filial, 
uma amizade que transcende, 
verdades compartilhadas que 
sempre nos aproximaram.
Uma confiança espiritual que sempre 
nos fez comungar pensamentos.
Sempre que posso, te aconselho naquilo que mal 
consigo entender as vezes.

Uma mulher madura, de rara beleza.
Que profundeza de alma pode ter uma criatura,
que sempre vai estar a procura,
da felicidade, do amor, ternura e paz.

Gerson Araujo Almeida
(Dedicado a amiga fiel: Lua Serena).

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Te amar será divino.


Te amar será divino, 
deve nos transportar pelos nossos espaços.
Nossos secretos universos, 
onde podemos nos libertar de tudo. 
De amor e desejo. 
O Sol vem nos bronzear,
a Lua nos cobrir com sua luz encantadora.
A chuva, nos acalmar...

Nossas mãos nos segurarão fortemente, 
num abraço puro e envolvente, 
que nos fará congelar no tempo.

Penetraremos em nossos caminhos seguros, 
certos do prazer alcançar.
Nada mais importará nessa hora, 
apenas usufruir e desejar sentir tudo 
o que queríamos antes.

Não tenha receio, somo aprendizes novamente, 
depois de tantos anos que servirmos 
a quem nos amou no passado.
Vamos comungar os prazeres da carne, 
a leveza de nossos seres amados, 
nunca antes tão desejados.
Vem mulher, teu homem te espera, 
sobre a sacada iluminada, pode anunciar tua chegada.

Anseio, por as mãos em teu colo, repousar em teus seios.
Quero toda a paixão que guardas em segredo,
revela sem medo, o quanto me ama, revelarei o quanto te adoro.
 Sem ti, não me resta mais viver assim...

Gerson Araujo Almeida

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Poema indecente.


Decidi escrever um poema indecente, 
será que lerão meu poema por mostrar a realidade?
Se sentirão atraídos por revelações escondidas?
Coisas secretas em nossos íntimos?

Prometo não revelar nomes, 
seria uma indelicadeza e afronta, 
falta de confiança, para com as pessoas 
objeto de tais revelações.

Caminhar pela rua completamente nua, 
em noites escuras,
sentir o desejo de amar qualquer um 
que encontrar pela rua.
Deitar na areia da praia 
e se oferecer ao primeiro banhista,
convidá-lo a um mergulho, 
e namorar dentro d'água.

Trair o marido, ou namorado,
que não a procura mais, com seu vizinho.
Sentir atração por homens mais jovens, 
se declarar louca de paixão pelo amigo.
De todas as revelações, a mais interessante..., 
fazer sexo em local público.

Essas revelações são reais e partem de pessoas normais,
Em cada um de nós, existe um outro ser secreto.
Que tem desejos para muitos estranhos, 
nada que não possamos administrar.
Louvar quem aceita os praticar, 
nem que tenha sido uma vez na vida, 
feito ou desejado.

Não precisam manifestarem-se, 
apenas deixar de lado o puritanismo, 
a falsa moral.
A vergonha que nunca tivemos, 
apenas a aparência que conservamos.
E que entre quatro paredes, 
achamos..., tão normais.

Gerson Araujo Almeida

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Olhando você na cama.


Mal consigo ouvir 
o "tic tac" do despertador,
sobre o criado mudo 
ao lado da cama, o teu lado preferido.
Não quero agora fazer nenhum ruído, 
pode te despertar.
Não quero que se vá ainda, 
ainda espero mais uma vez, te amar
antes que o despertador, 
que você mesma acionou..., desperte.

Por mim, jogava-o fora, 
pela janela o projetava, 
se espatifava lá em baixo na calçada.
Adoraria vê-lo em pedaços, 
para nunca mais te lembrar 
que tens que ir embora.
Me deixar aqui sozinho, 
sempre a espera de quando vai poder voltar, 
me ver e se deitar ao meu lado,
mesmo que seja por momentos, 
por uma breve noite apenas...

Não me deixa amor, 
fique, nem que seja até o amanhecer,
verás que ainda surpresas tenho para te mostrar. 
Nosso caso não pode se resumir a isso.
Noites fugazes e intercaladas, 
momentos de paixão inesperadas, 
um amor que não se firma...

Em teus delírios noturnos, 
teus gemidos felinos, 
quando me cobre com teu corpo nu.
Aquece-me, conclama-me, para te atingir plenamente.
Como posso te deixar ir assim, 
Não quero, não devo, não mereço te perder...

Vou desligar o maldito relógio, 
travar sua campainha, 
jogá-lo para o canto, inerte.
Vais amanhecer ao meu lado, 
vai receber os beijos de teu amante, 
com café na cama, sorridente.
Quero te acordar e olhar em teus olhos penetrantes, 
e beijar esta boca, bela e sufocante.

Repousa amor, 
prometo não incomodar por toda esta noite, 
descansa...

Gerson Araujo Almeida

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Brilha radiante sobre mim...


Uma amizade duradoura, 
deve ter um componente mágico 
e por demais envolvente.
Elementos de ternura e delicadezas, 
palavras amenas e nada censuráveis ou recriminadores, 
apenas que mostrem as realidades da vida.

Como muitas vezes fiz, 
no intuito de salvar da escuridão 
uma pessoa que estava sem rumo, a refiz,
naquele momento angustiante.

Momentos que só pensamos 
em atos extremos e perigosos para conosco.

Nunca me furtei a aconselhar, 
posso não ser o melhor dos conselheiros,
mas acredito que tenha sido de alguma valia, 
pois a pessoa a quem aconselhei,
irradia felicidade e bem estar. 
Não fala mais em bobagens que podem lhe tirar a paz.
que hoje vive em plena luz que irradia.

Ela sabe de quem falo, 
como um astro, se revelou no firmamento.
Arranquei-a das sombras góticas 
e das penumbras daquela hora.
Que só me vinha com palavras amargas e duras, 
sem esperança alguma.

Lhe mostrei o caminho? 
Não sei, apenas me preocupei 
com aquele coração que sofria.
Na sombra, na escuridão eterna da noite 
de tristezas na qual vivia.

Gerson Araujo Almeida

Na chuva, vou me arriscar...


Cobre agora os campos a penumbra da tarde, 
de céu nublado, de garoa fina, bem fria.
Não se ouve nada lá fora 
apenas as gotas de chuva, 
que resvalam nas folhas,
que a muito tempo estavam secas, 
murchas, sem vida.

Muito parecido contigo, que adora se molhar, 
adora uma chuva tomar.
Confesso que não entendia tal ato, 
não me arriscaria antes,
fazer o que você sempre faz..., 
se molhar.

Acho que vou experimentar, 
não custa tentar me arriscar.
Se sequelas tiver, 
terá sido uma pequena loucura, 
coisa de momento.
Depois tentarei me curar, 
de uma possível gripe, se vier.
Nada que um bom chá quente, 
não me aqueça.

Embora preferisse você, 
aqui ao lado.
coberta de mantas quentes, 
cheia de carinhos, quase adormecida em meus braços.
Sem vontade de ir, cheia de vontade de me amar..., 
ia ser muito bom.

Sorverei o chá, me agasalhar por toda noite, 
será preciso.
Lerei todos os artigos, 
meu poemas, meus rabiscos incompletos.
Meros rascunhos feitos em momentos de paixão,
quando relembro você...

Gerson Araujo Almeida

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Ensina-me a te amar


Quero ensinar-te a me amar, não que ache que não saiba.
Acredito que deve ter uma paixão dentro de ti, 
apenas adormecida, prometo acordá-la. 
Este amor sonolento e esquecido,
fazê-lo reviver as paixões vividas, 
embora hoje seja com outro prometido.

Não sei se daremos certo, 
se nos dedicaremos a altura 
das paixões que afloram.
Sentir e ver tua pele macia, 
teus pelos altos, tua pele corada, 
tuas roupas pelo chão jogadas.

Venha meu amor, mostra-me teus desejos 
e a forma que devo empreender para te encantar.
Ensina-me a te amar...

Serei o melhor aluno, 
o mais dedicado, o mais safado...
Não me censure em nada, apenas me assuma 
e me deixe em teu corpo ficar colado.
Sentindo teu sangue correr, tua pele tremer 
e aquecer meu peito frio, da aurora até ao entardecer.

Achei uma cópia da chave, 
deste quarto vazio que habito.
Vou deixar sob o capacho da entrada.
Venha, me surpreenda, mostre-me teus contornos, 
tuas sombras sinuosas, ama-me da forma 
que mais te faça feliz. 
Quero sentir...

Gerson Araujo Almeida

Poema sem imagem...


É uma pena, 
mas serão doravante apenas palavras,
vou tentar arruma-las 
da melhor forma possível e
dar-lhes sentido, 
na descrição dos temas explorados e exigidos.

Só peço que a imaginação aguçada usarem, 
para terem em mente as tais imagens.
Dará um pouco mais de trabalho, 
apenas, trabalho mental simplesmente.
Seguirei os ditames da página, 
da amiga que sempre me acolheu
de forma delicada e amorosa. 
de forma prodigiosa.

Sempre com minha rebeldia, 
posso parecer mal educado,
são ímpetos revolucionários 
os quais nunca os perdi.
Já fiz de tudo nesta vida terrena, 
nem sei se terei alguma pena a cumprir,
em outra vida, se é que serei presenteado com isso.

Poetas são imortais, é o que dizem,
pelo menos meus papéis, 
minhas memórias, meus "pen drives", ficarão.
Ao injetá-los, lerão minha postagens.

Pelo menos isso, serão as provas da eternidade.

Uma amiga muito cara, 
me convenceu ao retorno.
Posso ser um incômodo para alguém, 
espero que cause isso...
Não a todos, apenas alguns 
ou algum, não vem agora ao caso.
Serei o cordeiro manso, 
ante o cadafalso.
Não morrerei então, pois poetas são eternos.
Nem um carrasco bem armado, 
mesmo que minha cabeça corte,
me apagará de suas memórias.

Gerson Araujo Almeida
(Postado na página: Tecendo Textos)

domingo, 23 de agosto de 2015

Medo da felicidade



Talvez eu morra esta noite...


"Talvez eu morra esta noite... 
 Então eu chorarei agora todas as chagas do meu coração. 
 Você viu como está frio lá fora? 
 Vem e dance comigo esta última canção 
 porque talvez eu morra esta noite... 

 Eu quero te falar dos meus descasos 
 de quando eu dirigia tua alma 
 com o coração embriagado de insensatez. 
 E tudo que eu queria era ser livre 
 e eu perdia o foco, eu te perdia de mim. 

 E tudo que você queria era o toque das minhas mãos... 
 Mas eu estava embriagada de quimeras. 
 Eu sei, eu me apaixonava por você 
a cada instante em que te imaginava perdido 
 mas meu coração só sabia te amar em liberdade. 

 Você viu como está frio lá fora? 
 Vem e dance comigo a primeira das nossas últimas canções... 
 Porque o tempo envelheceu minhas utopias 
 e eu preciso desnudar hoje todas as minhas efemeridades. 

 Descansa minha cabeça no teu ombro 
e me deixe chorar todas as chagas do meu coração... 
 Me deixe te falar dos meus arrependimentos 
 porque talvez eu morra esta noite 
 e tudo que quero, meu amor, 
 é o toque das tuas mãos." 

 Lua Serena
www.facebook.com/Luavamph


O enígma


Passeando pela orla marítima, 
na hora do crepúsculo
junto ao oceano Atlântico,
me deparei com um ser ávido.

Não era um índio,
muito menos um anfíbio,
isto ficou bem nítido.
Seria um ser místico?

Gostaria de decifrar o enigma,
parecia um caso profético.
Nas proximidades não havia oráculo.

Isto foi sem dúvida sarcástico,
mais foi um caso verídico.
Você não gostaria de ter visto este espetáculo!

Darci Reis
www.facebook.com/darci.silva.39589

sábado, 22 de agosto de 2015

Por hoje é só...


Esta noite passará em branco, 
sem poemas na mente.
Sem que possa sentir pena, 
de quem queira minhas letras,
 arrumadas sob a pena.

Nada mais quero escrever por hoje, 
repousar a mente apenas.
De que adiante agradar a pessoa errada, 
que não sabe ser generosa.
Que me vale o trabalho 
de quem não aprecia o cuidado, 
o esmero e a delicadeza.

Imagens e texto, enquadrado, 
mostrado sem permissão.
Não atentei a este cuidado, 
fui reclamado e exilado,
jogado ao chão, apagado...

Não farei mais, 
me recuso, sinto-me em desprezo, 
meu esmero abandonado.
Desta vez é finito, 
apenas apreciarei o tema, sem manifesto.
Sequer curtido...

Gerson Araujo Almeida

Preciso de paz...


Repentinamente tudo se deslocou, 
a existência deixou de existir.
Numa fração de segundos,
o sangue congelou nas veias, 
o céu anuviou e tudo perdeu a essência.

Raciocínio divergente viajando sem destino,
nas asas da iniquidade,
procurando guarida.
Dissabores deparando 
e por este caminho 
enveredando sem lenitivo.

Sem pretexto aparente tudo vai manifestando.
Perguntas se perdem provocando 
a inquietude que habita no corpo inerte.
O óbvio inexistente 
me aguçando sem cessar, 
ferindo sentidos provocando-me a ira.

Remissão de minha paz, 
suplicando sem retorno, 
na insolência permaneço.

Darci Reis
www.facebook.com/darci.silva.39589

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Amor é para gastar


Por: Ivana Lino
Na economia da vida, 
o maior desperdício 
é fazer poupança de amor. 
Prejuízo na certa. 

Amor é para gastar, 
mostrar, ostentar. 
O amor, aliás, 
é a mais saudável forma 
de ostentação que existe no mundo. 

Vai por mim, amar é luxo só. 

Triste de quem sente e esconde, 
de quem sente e fica no joguinho dramático, 
de quem sente e guarda 
a sete chaves. 
Sinto muito.

Amor é da boca para fora. 
Amor é um escândalo que não se abafa. 
“- Eu te amo!” 
É para ser dito, desbocadamente. 
Guardar:
“- Eu te amo!” 
é prejudicial à saúde.

Na economia amorosa, 
só existe pagamento à vista, 
missa de corpo presente. 

O amor não se parcela, 
não admite suaves prestações.
Não existe essa de amor só amanhã, 
como na placa do fiado do boteco. 
Amor é hoje, aqui, agora... 
Amor não se sonega, 
amor é tudo a declarar.

Poema de Braulio Lalau

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Viagem


Quero estar perto de ti, 
quero embalar seu sono.
Quero com você acordar, 
quero ter uma noite de amor.

Em seus braços me aninhar, 
quero ficar bem juntinho.
Quero seu cheiro sentir. 
Seus lábios beijar 
na lucidez de minha mente,
quero seu calor sentir 
enroscada em seu corpo quente.

Quero querer o seu amor todo dia, 
trilhar caminhos desconhecidos,
ocultos da nossa mente.

Realizar nossos sonhos, 
nossas fantasias aplacar, 
nossos desejos num ato quase..., inconsequente.

Delirar e viajar, 
uma viagem vertiginosa, 
tendo como destino o êxtase total.

Aplacado nossos desejos, 
felizes estaremos nos preparando 
para outra viagem dos sonhos, 
que certamente será coberta de êxitos, 
como se fosse a primeira vez.

Darci Reis
www.facebook.com/darci.silva.39589

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Meus sonhos acordado...


Não preciso dormir para contigo sonhar, 
mesmo acordado te sinto ao meu lado.
É como se vivesse em um sonho, acordado.
Maravilhado, por te ter em meus braços,
te levar no colo, te por na relva, mesmo que molhada,
sei que não vai reclamar...

 Ter e sentir tua entrega total, 
meus caprichos e os seus, realizar.
Na penumbra do campo, 
na interior do bosque que nos cerca, 
na nudez que me ofertas,
como posso recusar tal oferecimento, 
puro e inocente.

Este amor que se mostra traiçoeiro, 
me pegou de surpresa, 
bem que quero te amar na relva fresca.
Só não sei se vai me impor alguma regra, 
algum pedido que não possa realizar 
após nos alimentarmos de nossas paixões.

Bem sei que será difícil recusar súplicas tuas, 
bem sei o quanto necessitas de um amor puro.
Não sei se serei capaz de realizar esta amor, 
tamanha é a envergadura do ato.
De fato, vai me deixar atônito, 
serei merecedor de ti, 
uma bela e linda jovem ainda.
Eu, um cansado amante, 
um poeta errante, 
que ama e deseja ser amado por ti.

Mas, não me custa tentar te agradar, 
te fazer minha seja em qualquer lugar.
Sem escrúpulos, sem moral ou censura alguma, 
te explorando em tua plenitude.
Mostra-me teus caminhos secretos, 
teus vales, tuas sombras, marcas ou tatuagens.
Quero ver teus mapas, 
me guia com tua mão acolhedora e firme, 
mostra-me teus tesouros.

Prometo apenas, que vou te roubar 
os beijos que sempre desejei dar,
molhar minhas mãos em tua fonte, 
me sentir um garboso infante, 
cheio de vontades insatisfeitas.

Me cubra, me acolhe, me adormece em teu seio, 
prometo repousar sem te fazer sentir nenhum medo.

Gerson Araujo Almeida

Ritual de amor


Sua alma, todas as noites vem aqui me visitar.
Me trazendo consolo e carinho,
fazendo a dor dilacerante cessar.

Estas visitas nos levam,
para outra dimenssão.
Nos transportando por telepatia,
passando pelo portão.

Este portal existe,
em nossa imaginação.
Passamos sempre por ele,
com grande satisfação.

A volta desta viagem,
de êxito é coroada.
Já nos preparando para outra,
assim é nossa jornada.

Amor quase sem esperança,
vivo nesta ilusão,
Me judia e quase me mata.
enganando meu coração.

Minha alma presa está, neste ritual,
nesta comunicação espiritual.
A noite por este portal,
e durante o dia virtual.
   
Até quando vamos suportar,
não sabemos, esta é a realidade.
Só sabemos que nos amamos,
e que viver assim é uma grande atrocidade. 

Darci Reis
www.facebook.com/darci.silva.39589

domingo, 16 de agosto de 2015

Amor a distância


Dia cinzento, frio e chuvoso,
e eu aqui nele a pensar.
Sinto as lágrimas correndo em meu rosto,
desejo imenso deste amor vangloriar.

Como esta chuva fria que cai,
está caindo também minha esperança,
de ter te em meus braços, meu amor,
coração sangrando ferido por uma lança.

Destruindo o que de melhor eu tinha,
esta lança atravessou meu coração.
Por onde ela passou,
deixou um rastro de destruição.

A distância é nossa inimiga.
não tem como dela fugir.
Pelo ar, pela terra ou pelo mar,
talvez jamais vamos conseguir.

Um amor tão puro e belo,
que atravessa montanhas e oceanos.
Não poderia ficar em segredo,
e sim em um pedestal soberbo.

Darci Reis
www.facebook.com/darci.silva.39589

Despertar o amor


O amor nunca me cegou, 
ele sempre me mostrou a verdadeira face 
que se encerra em ti.
Por baixo desta pele, 
há um ser maravilhoso, 
que busca amar nesse decorrer de vida.

Posso parecer presunçoso, 
sonhador e visionário, 
que mal há nisso se alimenta nossos egos.
Não nego, que sinto uma paixão avassaladora, 
tenho em mim os desejos de outrora,
as tensões normais de um homem 
que deseja amar perdidamente, você...

Sem vergonha alguma, 
me despiria ante ti, 
mostrando todas as marcas do tempo,
todas as possibilidades de prazer,
ainda posso demonstrar capaz ser.
De um jeito ou de outro,
atingiríamos a plenitude que tanta falta nos faz.
Seremos com certeza capazes, 
  de nos termos em companhia.

Recatos, vergonhas, timidez, já se foram a muito tempo,
nesta idade primorosa, 
já sabemos o que queremos sem delonga.
Sem a necessidade de convencimento 
do ponto que queremos atingir.
Só precisamos da serenidade, 
do silêncio do ambiente, da paz reinante.
Da cama macia, do baixo som da música, 
do aroma perfumado de nossas paixões.

Prepare tudo meu amor, 
logo estarei ao teu lado, 
seremos como dois namorados,
em busca de nossas conquistas, 
só que agora, somos mais determinados.
Lúcidos o bastante para não nos enganarmos mais, 
como antes.
Somos plenos amantes, 
sem compromisso maior do que estarmos juntos 
em busca da felicidade.

O amor que pareceu ter ido embora, 
só que não percebemos 
que ele estava adormecido,
sonolento e irreconhecível, 
escondido no fundo de nossos corações,
calado e em profundo sono, estava...

Vamos despertá-lo?

Gerson Araujo Almeida

sábado, 15 de agosto de 2015

Minha louca paixão.


Nesta noite, 
quero te coroar em meu reino,
será minha parceira, 
neste momento de amor e sedução.
Vem sem pressa, minha rainha, 
fique bem a vontade. 
Quero te olhar em meio as sombras.

Nada que te deixe constrangida, 
tatuagens, marcas da vida se tiver, 
quero expor.
Quero tocar em cada centímetro teu, 
enamorar-me pela dona deste belo corpo,
que quero tanto possuir 
e amar sem pudor algum.

Leve-me ao teu paraíso, 
supre-me com teus carinhos doces,
sussurre em meu ouvido teus desejos, 
quero realizá-los um por um.

Que seja por toda noite, 
te prometo bastante empenho,
quero, com todas as forças de meu ser, 
te amar.

Venha me prender em teus braços, 
enlaça-me com tuas pernas, aprisiona-me.
Quero perder-me entre gemidos e gozos, 
me afogar nesta louca paixão.

Gerson Araujo Almeida

Vamos descontrair


Decididamente hoje estou ofegante,
um pouco relutante, nada contente, intransigente.
Muito impertinente, por demais impaciente,
meio descrente.

Mais ou menos carente.
Falta o amor ausente, quero um presente,
de Deus onipotente.

Um milagre de repente, que me deixe contente,
necessito urgente.
Para mostrar a essa gente, que o amor nada mais é,
que o fruto da semente.
Semente plantada no útero da mãe amada,
foi muito bem regada.

Vocês querem que eu continue?
Hoje estou embalada muito inspirada.
Vamos ficar até de madrugada...

Darci Reis
www.facebook.com/darci.silva.39589

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Ciúmes


 Ciúmes de ti eu tenho,
não conseguindo me conter.
Choro baixinho escondido,
para você não perceber.

Este ciúme que não faz bem,
faço tudo para esconder.
Mas, confesso é incontrolável,
tenho medo de te perder.

Tenho ciúmes dos amigos,
tenho ciúmes de tudo.
Tenho ciúmes até da toalha,
que carinhosamente te enxuga.

A roupa que tu veste,
que seu corpo nú cobre.
Me enlouqueço só de pensar,
sei que este sentimento não é nobre.

Tenho ciúmes do ar que tu respira,
ciúmes eu tenho até da tua voz.
Até do chão que tu pisas,
de sua cama de seus lençóis.

O egoísmo impera soberbo,
quando se trata de amor.
Sou assim e não mudo,
assumo minha posição com louvor.

Darci Reis
www.facebook.com/darci.silva.39589

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Jogo do amor


Como todos necessitamos de ar,
meu corpo do seu necessita.
Você é como o oásis no deserto,
e a minha sede necessito saciar.

Confie em mim, em meu coração.
Ele está aberto, por ti esperando.
Coloque suas cartas na mesa,
esta espera está me matando.

Sinto falta de falar com você,
sua ausência e indiferença minha vida invadem.
Suas palavras são como bálsamo,
para as minhas feridas cicatrizarem.

Se não te aprecias o meu modo de amar,
me ensina, que quero aprender.
Prometo ser tua discípula,
a melhor entre todas, não vai se arrepender!

Venha meus lábios beijar,
venha me possuir,
venha ser muito feliz,
teu corpo quente quero sentir.

Vamos esse amor viver em sua plenitude,
quero ser tua Julieta, porém sem o mesmo fim.
Você será meu querido Romeu,
meu ouro, minha prata, meu marfim.

Não quero luxo nem fortuna,
não quero conforto nem beleza.
Só quero você em minha vida,
você é meu tesouro minha riqueza.

Vamos este jogo logo terminar,
neste jogo não vale trapacear.
Quem ganha leva o prêmio,
Xeque-mate vou ti dar. 

Darci Reis
www.facebook.com/darci.silva.39589

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Quero chuva...


Quero chuva, 
quero que gotas de orvalho me cubra.
Preciso molhar-me em tua luxúria, 
invada-me.

Deita sobre a relva, 
molhada e úmida, encharcada de paixão tua.
Colada em teu corpo, 
vestes brancas transparentes, 
dirás: "- Indecentes..."

O que é decente ou não para quem te deseja demais...
Por anos, esperei viver um amor grandioso, 
sem esperar quando viria.
Minha querida, abra seus olhos, 
toque teu corpo e sinta a paixão febril.

Criarei condições para que aconteça, 
não resisto mais esperar,
vamos nos completar, nos amar, 
acasalar que seja o nome que se dá.
Não posso mais esperar...

Cada momento, cada segundo do tempo, 
me vejo mais acabado e cansado da espera.
Seja você, meu paraíso em terra, 
quero provar tua maçã pecadora, me condenar.

Não busco mais salvação alguma, 
mesmo que me diga: 
"- Não! Não posso!"
Ainda assim, vou esperar decidir-se, 
a vergonha perder e se entregar por completa.

Gerson Araujo Almeida


Sonho impossível


Quisera eu me desvencilhar 
das amarras que me prendem,
ferem o corpo e alma sem compaixão.
Pregos cravados sem piedade 
rasgando a carne, dilacerando a alma.

Quisera eu a liberdade ainda que tardia,
me transformar em pássaro cruzando céu e mar.
Conhecendo outros horizontes e pousar em terras longínquas.

Liberdade, liberdade poder proclamar,
abrindo as asas mergulhando no infinito.

Que venham granizo, raio e trovão.
Torrentes de chuva, frio e calor.
Que trema a terra, que venha um dilúvio,
até mesmo um vulcão.

Pássaro formoso feliz a voar,
talvez uma águia ou um falcão.
Bem forte eu seria voando bem alto,
e me perderia na imensidão. 

Terra distante iria conhecer, cachoeiras, 
selvas, ilhas.
Cidades formosas, arranha-céus, cultura e religião.
Impossível de realizar esse sonho,
no meu íntimo, consciência está dizendo:
"- Inútil este sonho alimentar".

Darci Reis
www.facebook.com/darci.silva.39589

Quero você...


sábado, 8 de agosto de 2015

Você foi importante...


Você foi importante, 
teve seu papel na minha vida.
Minha infância foi um tanto reprimida, 
cheia de cuidados,
mas fui por ele muito amado.

Nunca foi dado a demonstrações de carinho e amor, 
mas seu olhar..., era reprovador, 
quando fazia minhas besteiras.
Sabia me ofertar quando merecia, 
foram tantas bicicletas..., perdi a conta.

Saudades do meu velho...
Me ensinou a dirigir, 
quando mal conseguia atingir,
os pedais de freio e acelerador.
Sentado num travesseiro, ia eu a conduzir 
seu velho carro de praça, 
como eram chamados naquela época, os táxis.

O velho "oldsmobil 48", todo preto, 
foi seu ganha pão, minha educação, 
nossa segurança financeira.

Gerson Araujo Almeida

Briga de casal


Chove lá fora, chegou a hora.
Criança que chora, não vai embora.
Casal brigando, marido gritando.
Mulher chorando, união terminando.

Casa modesta, isto não presta.
Tapa na testa, pensa que é festa?
Falta o pão, trabalho não.
Homem beberrão, sem coração.
Comida não tem, amanhã pego o trem.

Do berço tiro o neném, você não vem?
Vem aqui perto, está tudo certo.
Fico alerta, de coração aberto.

Termina a briga, acaba a intriga.
Igual formiga, e a barriga?

Me dá um beijo, goiabada com queijo.

É assim que vejo, estão na cama num lampejo.
Esquecem o trilho, fazem outro filho
Amanhã tem milho, não tem mais grilo...

Darci Reis
www.facebook.com/darci.silva.39589

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Porque é tão difícil te amar?


Do meu pensamento, nunca sai, 
com medo de falar, por vezes fico. 
Te contrariar, te criar incômodo,
não sei se podes ou queres viver, este amor.
Sentir, corresponder..., que pena,
seria a alegria de minha vida.

Não te sentes abandonada?
Maltratada, esquecida e jogada num canto?
Da sala, do quarto, minha adorada, me fale...

É uma ordem! Voltar a viver!
Berre, grite bem alto,
se liberte dessas cadeias.
Que te prendem, que te calam.
Não vou desistir de você,
ainda vou te trazer para o meu lado.

Pode parecer presunção, mas é meu maior desejo.

Nunca deixe de me amar, mesmo que não o declares.
Vais matar o que ainda sinto no peito, não me maltrate.
Um amor que sustento, apesar do tempo e distância.
Tempo, que fala comigo: 
" Se apresse, seja feliz!"

Continuo te amando como posso,
Deixar de respirar, de viver..., de me alimentar desse amor, 
não consigo.
Este coração, que bate em tua homenagem, 
precisa de você, és meu abrigo.
Porque tu é a razão de tudo, és a rosa que cultivo.
Porque só a ti quero dirigir meu olhar, 
só assim posso deitar em minha cama,
dormi e sonhar com a tua bela imagem.

Porque..., porque é tão difícil te amar...?

Gerson Araujo Almeida

Abandono


segunda-feira, 3 de agosto de 2015

VIM TE VER


Cheguei de mansinho em tua casa,
nas asas do vento oeste.
Que me deixou ao teu lado,
na cama em que tu dormias!

Beijei tua boca de leve,
olhou para mim e sorriu.
"- Te esperava! – Me dissestes!"

Abraçou-me em um beijo longo,
ardente e apaixonado me envolveu...
Na dança louca do amor,
entre gemidos e beijos,
me amastes com desejo.

Apaixonado de amor!
Naquela entrega inteira,
eu tua e tu meu,
percebemos que nada impedia,
imenso amor que nasceu!

A madrugada chegava,
e o vento oeste cantava.
Chamava por mim, partiria,
tu me beijaste ardente.
Aconchegou-me em teu peito,
não me deixavas partir...

Entre sorrisos te disse:
"Que a noite, estaria ali pra te ver!"
Fazer amor em tua cama,
que virou minha também.

Chris.
(http://chrissereia.arteblog.com.br/)

Você me é importante...


Logo, irás cruzar uma fase da vida 
que te mostrará que a juventude não é eterna. 
Lentamente, pequenos sinais da tua idade 
se farão presentes. 
Nada que precise se preocupar, 
tua beleza ainda perdurará por anos a frente. 

Vou te olhar com os olhos acostumados 
com o tempo que passa. 
Enxergo o que outros não enxergam, 
te olho com os olhos do poeta amante, 
que te adora, te tem em seu coração. 

Não importa se chances terei ou não, 
apenas deixe-me te adorar sempre, 
te elogiar, te ensinar o pouco que sei, 
te aconselhar com os olhos atentos 
de um poeta que ama a beleza de uma mulher.

Tua impetuosidade, arroubos por vezes incompreendidos,
me fazem alegre por tua jovialidade sempre presente.
Adoro pessoas alegres e que não ligam para o que dizem delas.
O que importa é o sentimento que nasceu entre nós,
de amizade, de carinho, de ternura e cuidado de um pelo outro.

Não me julgue, nem me recrimine, 
pois você é muito importante para mim.

Gerson Araujo Almeida

sábado, 1 de agosto de 2015

Ela não vem...


Tarde mansa e silenciosa, lá fora a noite vem chegando devagar. Muito se fala do entardecer no campo, nos ruídos dos grilos na relva, no canto dos pássaros que vão diminuindo a medida que a noite avança. A temperatura vai baixando e logo vou precisar de um bom agasalho para me aquecer. Uma chaleira no fogão, já demonstra que a água está quase a ferver, vou meu chá de fim de tarde tomar. Adoro chás nestas horas silenciosas, acendi a luminária lá de fora para deixar a pequena varanda visível para quem chega ao pé da estrada que conduz até a casa. Quem sabe você apareça neste fim de tarde.

Não te mandei convite, foi um erro, mas estavas atarefada com mil problemas para resolver hoje, não quis atrapalhar tua jornada. Bem que desejei te ter ao meu lado, conversarmos bastante, quero te conhecer melhor, olhar de perto. Sentir o aroma de teus cabelos, sentir o toque de tuas mãos nas minhas, ouvir tua voz delicada. Não faltará oportunidade, espero que aceite o convite. Nada mais me deixaria tão feliz se aceita-se. Será bem recebida, com todos os detalhes conferidos, mesa posta, flores na jarra, colhidas no quintal em volta da casa, rosas vermelhas. Nenhuma insinuação quanto a paixão que senti quando te conheci, apenas um lembrete ao meu coração, quem sabe ele se apaixone também.

Não vou acender as luzes da sala, vou ficar na penumbra. Me basta o luar que entra pela janela e me toca delicadamente, me prateia com sua luz, me traz um recado repentino: "-Ela não virá!". 
Como pode afirmar tal coisa, quem te garantiu minha querida Lua. Por acaso é ciúme, quer me afastar dela, acha que é mais bela que tu. Só pode ser isso.

Não faz mal, vou continuar aqui esperançoso, quem sabe ela resolva em última hora, pensar em mim e me procura, nem que seja para me avisar que não pode me achar. Só me resta esperar e tomar meu chá senão esfria, saborear meu pãozinho com queijo minas, meus biscoitos salgados. Os ruídos da noite quase cessaram apenas uma brisa leve tilinta os sinos da sorte, pendurados lá fora na entrada, sobre o balanço de dois lugares coberto de almofadas, onde iria te namorar.

Gerson Araujo Almeida

Lua


Lua prateada que brilha no espaço.
Lua dos amantes, dos poetas, dos loucos,
dos lobos e dos viajantes.

Brilhando no firmamento 
formosa com seus raios de luz,
iluminando o mar para os navegantes.

De norte a sul de leste a oeste, 
todos se comovem ao vê-la majestosa.
A terra brilha com seu encantamento, 
casais se abraçam e se beijam
fazendo amor até de madrugada. 

Debaixo de sua proteção falam baixinho 
trocando juras de amor.
Toda feliz ela lança seu olhar, 
dá uma piscadinha,
ela sabe que é a dona da cena.

Protetora ilumina o caminho do bêbado, 
estendendo-lhe a mão a queda ela evita.
Está sempre disposta, 
mais as vezes se esconde bem humorada.

Lua grande ou pequena 
dos poetas é fonte de inspiração.
A noite sem ela seria muito escura, 
muita tristeza sem o seu brilho.
Até o brilho da constelação 
ficaria ofuscado sem a presença 
da sua majestade. Lua.

Darci Reis
www.facebook.com/darci.silva.39589